Treinando Corrida: Fortalecimento de Membros Superiores

Para correr melhor você precisa fortalecer os braços! Oi? Como?

Sim, é isso mesmo! Os braços são muito importantes na corrida e se você quer melhorar seu desempenho, você também precisa fortalecê-los.

Mas como isso acontece? Vamos entender.

Durante nosso ciclo de passadas, temos uma ação contínua dos membros superiores. Quando corremos, mantemos os membros superiores livres, em geral com os cotovelos flexionados em 90° e as mãos relaxadas. Como cada membro superior se conecta ao tronco pela articulação glenoumeral, o ombro, estes também possuem participação ativa no movimento.

Ao nos deslocarmos, executando o movimento de avanço, os braços trabalham como contrapeso ao membro inferior oposto que deixa o solo, auxiliando na oscilação da corrida e na uniformidade do movimento.

Se quiser testar isso, tente andar movimentando braços e pernas do mesmo lado. Na melhor situação, você achará estranho; na pior você cairá.

Outro exemplo claro é percebido observando os movimentos de um velocista. Ao largar, o atleta executa as primeiras passadas com o joelho bem levantado e movimenta os braços de forma intensa e até aparentemente exagerada para acompanhar essa progressão. Depois os membros superiores ainda continuam ativamente participativos até o fim do sprint. Funciona assim: enquanto os membros inferiores executam passadas largas e fortes, os membros superiores devem acompanhar em movimentação semelhante para frente e para trás a fim de contrabalancear essa ação.

Ou seja, os membros superiores estão envolvidos na propulsão, na força, na postura e no equilíbrio do corredor. Membros superiores cansados levam a uma oscilação menos fluente, retardando o atleta.

Quando analisamos os corredores de longas distâncias vemos que a intensidade da movimentação dos membros superiores é menor, porém este menor esforço é equiparado pelo enorme número de repetições que serão executadas durante a corrida.

Vamos fazer um cálculo rápido. Um corredor que tenha uma passada média de 1,3m irá executar 770 passadas em 1km. Se aplicarmos isso em uma prova de 10km, serão 7700 passadas. Para cada passada uma oscilação, então 7700 oscilações. Bastante, não é mesmo? Sendo que esse número será de mais de 16000 para uma meia maratona e mais de 32000 para uma maratona. Isso quer dizer que, mesmo sendo um esforço mínimo, executar este esforço por tantas vezes irá fadigar e se os membros superiores não estiverem preparados, eles irão fadigar.

Lembrando da idéia de que você é tão forte quanto seu elo mais fraco, se os membros superiores não estiverem devidamente preparados para o esforço e se fadigarem, conseqüentemente você ficará mais lento.

Outro detalhe importante: se você é trail runner indubitavelmente sabe da necessidade da utilização dos membros superiores durante sua corrida, seja para subir ou descer uma ladeira, pra ajudar a vencer obstáculos existentes no caminho, para usar seus bastões ou até mesmo se apoiar/puxar em um local com maior dificuldade técnica. Para você, os braços serão grande aliados e se eles estiverem fracos certamente comprometerão seu desempenho e até mesmo sua segurança.

Então chega de postergar o fortalecimento. Treine todo o seu corpo. Fortaleça-se por completo e corra melhor. Mas lembre-se, sempre sob supervisão de um profissional.

 

Valeu galera, até a próxima!

 

Voltar

Telefone: 41 3154-5047

Whatsapp: 41 99547-5047

E-mail: contato@v8assessoria.com.br

Escritório V8: Rua Hugo Kinzelmann, 244 Campina do Siqueira.

Copyright © V8 Assessoria 2018. Todos os direitos reservados.