O Treinamento de Corrida e as Valências Físicas – o Equilíbrio

Olá querido atleta, chegamos ao nosso último texto sobre a corrida e as valências físicas. Se você não leu algum dos temas anteriores role a página até encontrá-los e leia. São de grande valia para você que quer melhorar seu desempenho. O tema da nossa conversa de hoje é o equilíbrio. Sim o equilíbrio. Manter o equilíbrio é algo tão natural para nós que raramente pensamos em treiná-lo. Preocupamo-nos com força, resistência, alongamento, condicionamento, mas equilíbrio não faz parte da nossa lista de “cuidados com o corpo”.

Há um número razoável de praticantes que relatam sofrer entorses de tornozelos com certa freqüência e também algumas quedas, principalmente ao correr em terreno irregular. Muitos dos que se queixam com estes problemas culpam o terreno ou a falta de sorte. Mas será mesmo? Na verdade, o problema pode estar no equilíbrio (ou na falta dele).

A maioria tende a achar que equilíbrio é algo automático, que não se treina. Não é bem assim. À medida que vamos envelhecendo, a regra geral é que o equilíbrio vá se deteriorando. Um sinal disto é a freqüência com que os idosos caem. Por isso, tanto quanto as outras valências, o equilíbrio também precisa ser trabalhado.

 

Mas o que é o equilíbrio? Dentre as diferentes definições a considerada mais completa explica equilíbrio como a “habilidade intrínseca ao ser humano  que o permite conhecer a inclinação de seu corpo, ajustá-lo e corrigir todo desvio em relação ao centro de gravidade.” Isso quer dizer que manter-se parado ou movimentar-se dependem de sua habilidade em equilibrar-se.

 

Para equilibrar-se você depende da integração de várias estruturas. São elas: o sistema motor (força muscular, tônus muscular, reflexos tônicos de postura); as sensibilidades proprioceptivas (que informam ao sistema nervoso central a posição dos segmentos corpóreos e dos movimentos do corpo); o aparelho vestibular (cujos receptores informam a posição e os movimentos da cabeça); o sentido da visão (encarregado da percepção das relações espaciais). Essas estruturas atuam de forma complexa, integrada, redundante e de maneira diferenciada para cada perturbação sobre o corpo humano.

Agora pare e pense quantas alterações seu corpo sofre durante uma sessão de corrida. São subidas, descidas, variações de terreno, curvas, acelerações e desacelerações. Cada uma dessas alterações irá causar um estímulo ao seu corpo que deverá responder de maneira apropriada para que o movimento continue e você não sofra um desequilíbrio que poderia levá-lo a uma queda. Percebe como o equilíbrio é importante? Sem ele você não ficaria parado em pé e muito menos poderia correr.

Inclua em sua rotina exercícios que trabalhem o equilíbrio. Movimentos estáticos e dinâmicos que utilizem como apoio partes específicas do pé (calcanhar, antepé, borda interna, borda externa) ou em um pé só são exemplos de exercícios. Muitos exercícios de coordenação também trabalham o equilíbrio e podem ser muito bem aproeitados.

Não espere ter problemas com seu equilíbrio para começar a treiná-lo. Comece agora mesmo. Melhore sua corrida, sua durabilidade no esporte e sua qualidade de vida.

 

Um abraço e até a próxima.

Bons treinos!

 

Jhomyr Dias Modesto

Voltar

Telefone: 41 3154-5047

Whatsapp: 41 99547-5047

E-mail: contato@v8assessoria.com.br

Escritório V8: Rua Hugo Kinzelmann, 244 Campina do Siqueira.

Copyright © V8 Assessoria 2018. Todos os direitos reservados.