BENEFÍCIOS DO CONSUMO DE FRUTAS VERMELHAS E ROXAS PARA CORREDORES



VOCÊ CONHECE OS BENEFÍCIOS DO CONSUMO DE FRUTAS VERMELHAS E ROXAS PARA PRATICANTES DE ATIVIDADES INTERVALADAS E DE ENDURANCE?

Treinamentos intervalados de alta intensidade trazem inúmeros benefícios à saúde, como melhora na composição corporal, no consumo máximo de oxigênio e na resistência muscular. Porém, esse tipo de treinamento também gera inúmeras adaptações fisiológicas que são importantes para a resposta adaptativa ao exercício como estresse oxidativo e inflamação. Exercícios de alta intensidade aumentam a produção de radicais livres e a liberação de substâncias catabólicas no organismo que, em excesso, contribuem para a fadiga, a perda de massa muscular e a inflamação.

O estímulo desequilibrado do estresse oxidativo induzido por treinos intensos, prolongados, ou exaustivos, quando não submetidos à modulação nutricional adequada, podem gerar um processo inflamatório crônico e resultar em prejuízos no desempenho esportivo, aumentando o risco de lesões, overtraining e overreaching, afastando inúmeros atletas de suas atividades esportivas, por períodos que variam de dias a meses.  

Diversos alimentos podem atuar na modulação da inflamação e dano muscular induzido pelo exercício, quando consumidos de acordo com as necessidades individuais de cada esportista. As frutas de tons avermelhados e arroxeadas (morango, mirtilo, framboesa, uvas, amoras), além de serem gostosas e nutritivas, são uma boa pedida para quem pratica atividades físicas, principalmente as atividades de endurance. Isso porque elas possuem alto teor de vitaminas e compostos bioativos (flavonóides), como a antocianina e o resveratrol, que possuem potente ação antioxidante no organismo, ajudam na modulação do sistema imunológico e neutralizam a ação dos radicais livres no organismo. Esse suporte resulta em melhora da performance e manutenção da saúde, além de prevenir doenças crônicas.

A melhor maneira de consumi-las é em sua forma natural e, preferencialmente, de cultivo orgânico. É possível misturá-las também em shakes esportivos ou bowls acrescentando iogurtes protéicos, cereais, sementes e castanhas.

Vale ressaltar que apesar do aumento na produção de radicais livres fazer parte do processo de adaptação do exercício, é fundamental que haja o adequado aporte de nutrientes antioxidantes que auxiliarão na modulação deste processo, proporcionando um equilíbrio orgânico essencial para prevenção da redução do desempenho físico, dos danos às células e tecidos e do enfraquecimento do sistema imunológico (que podem levar ao aumento da inflamação e dos riscos de infecção, especialmente em atletas de endurance).

Por outro lado, é preciso enfatizar que o consumo excessivo e exagerado de compostos antioxidantes (em especial os suplementos antioxidantes) durante todas as fases de periodização do treinamento não é recomendado, pois pode prejudicar as adaptações fisiológicas normais e necessárias do exercício. Isso reforça a importância de um plano alimentar e suplementar personalizado e periodizado por nutricionista esportivo, que considere as características individuais de cada atleta, bem como a modalidade esportiva e a fase de periodização do treinamento. Não basta periodizar o treinamento, é de extrema importância a periodização nutricional também.

 

Texto por Cris Carvalho
Nutriconista
CRN8-1137

Voltar

Telefone: 41 3154-5047

Whatsapp: 41 99547-5047

E-mail: contato@v8assessoria.com.br

Escritório V8: Rua Hugo Kinzelmann, 244 Campina do Siqueira.

Copyright © V8 Assessoria 2018. Todos os direitos reservados.