UTMB - Relato de como foram os 101km da CCC!

Ultra Trail du Mont Blanc

Quando pareceu que tudo ia dar errado, estranhamente as coisas funcionaram normalmente. Assim foi minha prova. Uma sensação estranha que se tornou a melhor sensação do mundo! Como? Vou te contar!

 

Dia 31 de agosto de 2018, sexta-feira, foi dia da minha largada na CCC. A CCC (Courmayeur - Champex - Chamonix) tem 101km, que se percorre pelos Alpes europeus, começando em Courmayeur na Itália, passando pela Suiça e terminando em Chamonix, na França. A prova tem 6100m de desnível positivo e faz parte do UTMB (Ultra Trail du Mont Blanc), o maior evento mundial de trail running (corrida em trilha).

 

Porém, uma semana antes da prova, estava com um forte resfriado e corpo dolorido para correr. Parecia que as lesões que eu havia tratado, voltaram todas de uma vez. No meu pensamento, eu não iria conseguir correr, pois até levantar da cama estava difícil pelas dores e indisposição. Descansei o que pude, na semana da prova fiz mais dois treinos bem leves e com dor. 

 

Acordei no dia 31 de agosto com tudo pronto. Peguei o ônibus para a Itália, onde foi o início da prova. Estava com minha noiva, Erica, que me ouvia e me tranquilizava. Meia hora antes de largar, me despedi dela e fui para o funil de largada. Aqueci o pude nos 30 minutos que tinha de espera em meio aos 2000 corredores que se afunilavam na partida. Deixei o corpo o mais acordado possível. Não vi ninguém aquecendo e ali já me senti mais preparado. E realmente estava. Larguei bem atrás, comecei passando muitos atletas. A partir do km 3 as trilhas se afunilaram e até o km 10 peguei muita fila. Fiquei um pouco nervoso, mas não havia necessidade, pois ainda tinha muito chão pela frente. Foram mais de 2 horas subindo esses 10km, mas depois veio uma descida com terreno plano bem bom de correr. Estava em uma das trilhas mais bonitas que corri na vida, vendo o Mont Blanc pelo lado italiano e todas aquelas montanhas, os glaciares e paisagens, realmente algo incrível de ser visto. 
O tempo começou a fechar e comecei a subir o segundo grande morro ali pelo km 27 até o km 30. Com frio e vento, coloquei a jaqueta corta vento e bandana. Descendo depois do km 30, começou uma chuva fina, porém interminável. Me molhei todo. A trilha ficou muito escorregadia, com muito barro. Muitos escorregaram e caíram. Eu tomei muito cuidado para não cair, pois uma queda poderia custar a minha prova. O terreno era bem corrível, descendo e no plano até o km 50, onde deu para progredir muito bem.

Subida até o km 55, Champex - Lac na Suiça, onde a Erica me esperava em um ponto de apoio. Lá tirei a roupa molhada, comi e continuei para o que eu não esperava. O trecho mais difícil da prova! Os últimos 45km! Eram 3 montanhas que subiamos em média de 5km com 900m de desnível positivo e descíamos tudo aquilo igual. Se existisse um filme de terror para as pernas, esse filme seria chamado: "últimos 45km da CCC". Eram muitos trechos técnicos com a chuva que travou o percurso. Passando o km 70, o corpo começou a ficar mais fraco, porém a cabeça tava boa! Ufa! Pelo menos isso! Reduzi a velocidade e coloquei na minha cabeça que meu único objetivo na prova era terminar ela independentemente do tempo final. Apenas terminar. No km 83 encontrei a Erica (minha salvação, vou ter que casar com essa mulher mesmo, me aguentar todo esse tempo no frio e na chuva hahaha). Fiquei uns 30 minutos com ela, sentado, comendo e me hidratando. Como me fez bem aquilo. Saí dalí mais disposto para os 18km que restavam na noite do sábado que já tinha começado, pois tinha passado da meia noite.

O trecho até o km 93 tinha bastante subida e era técnico, mas estava bem! O pior foram os 8km finais descendo. Minhas pernas não queriam mais se mexer. Na verdade nem se mexiam. Não queriam mais brincar. Tive que forçar, e forcei até demais que saiu até lágrimas dos olhos. Ia descendo, pulando umas pedrinhas e degraus (não sei a necessidade daqueles obstáculos naquela altura do campeonato haha) até que faltando 4km pro fim, minhas pernas quiseram correr novamente! Aproveitei a carona e fui com elas até Chamonix! 

500m antes da chegada, estava lá ela, a Erica, gritando, pulando, feliz da vida que eu apareci! (quero ver isso depois de casados, eu chegando na mesma hora que estava, quase 5 da manhã, ela estar gritando de felicidade daquela maneira)! Ela correu comigo até a chegada! 

19 horas e 34 minutos de uma sensação indescritível. Estar nesse lugar é um privilégio. Conseguir concluir a prova sem nenhuma dor de lesão, foi algo inexplicável! Mais um sonho realizado!

Agradeço a todos que me apoiaram, em especial a Erica, minha família, a V8, amigos, patrocinadores e apoiadores. Sem vocês, nada disso teria sido feito. Só não agradeço a Iberia (empresa aérea) que perdeu minha mala com todo meu equipamento de corrida, roupas e compras ou seja minha vida numa mala! 

 

Próximo grande objetivo será a TDS, prova de 120km que acontece no mesmo evento da CCC. Talvez consigo entrar na prova ano que vem, 2020 ou 2021 a depender do sorteio de vagas. Seja o ano que for, chegarei melhor do que nunca!

 

 

Voltar

Telefone: 41 3154-5047

Whatsapp: 41 99547-5047

E-mail: contato@v8assessoria.com.br

Escritório V8: Rua Hugo Kinzelmann, 244 Campina do Siqueira.

Copyright © V8 Assessoria 2018. Todos os direitos reservados.