Mostrar/ocultar menu
17504356_1231385873604154_2128170449101466962_o

Relato enviado por: Administrador -

Fala moçada! Vamos continuar aprendendo sobre kettlebell? No texto anterior vimos um pouco sobre os princípios básicos envolvidos na prática e hoje vamos começar a conhecer um pouco sobre os principais movimentos/exercícios que podemos realizar com esta ferramenta.

17389129_1231392376936837_4326546211001677844_o

E para iniciar vamos falar do movimento mais popular do kettlebell: o Swing. Provavelmente você já deve ter visto alguém “balançando” esta bola de ferro por entre as pernas e elevando até a altura dos ombros. Pois bem, este é o adorado Kettlebell Swing.

O swing é o movimento base para todos os exercícios do treinamento com Kettlebell. Inicia-se entre as pernas e desloca-se através de um pendulo até a altura dos ombros, sempre mantendo o deslocamento do peso em um arco imaginário  com a sua parte mais pesada girando para fora. O swing consiste em uma flexão seguida por uma extensão de quadril rápida e forte. Esta extensão do quadril é essencial para o fortalecimento da região mais frágil do corpo, a coluna vertebral, e o complexo quadril-pelve-lombar. A inércia que o swing proporciona ativa os músculos dos glúteos, posteriores de coxa e eretores de coluna, ou seja, a cadeia cinética posterior, estabilizando o corpo.

No nosso dia-a-dia é muito comum não estimularmos esses grupos musculares, pois passamos muito tempo sentados, seja trabalhando, estudando ou até em nosso lazer, como assistindo a um filme. Quando ficamos por muitas horas nessa postura, criamos um desequilíbrio nas musculaturas e como resultado surgem as lesões. Este exercício é ótimo para corrigir este erro.

Com relação ao trabalho muscular, o swing apresenta um poderoso trabalho do core (reto, transverso, oblíquo externo do abdômen, parte inferior do reto abdominal, reto femoral, quadrado lombar, eretor de espinha, glúteo médio e máximo); um enorme recrutamento de glúteos e quadríceps; e também a participação da cintura escapular, que é recrutada na estabilização dos ombros, ou seja, um movimento de surpreendente mobilização muscular. Este exercício também é muito importante para se compreender como funciona a mecânica da potência no quadril e a capacidade de gerar força rápida.

17505258_1231387070270701_7898276759503992940_o

Realizar swings vai te auxiliar em:

  • Aumentar a capacidade de se treinar força por exigir muito do trabalho excêntrico (queda do peso);
  • Estabilidade articular, devido ao manuseamento de cargas intrínsecas e extrínsecas durante o movimento;
  • Melhora da postura;
  • Aumento do gasto calórico, já que como todo o corpo tem de trabalhar em conjunto, com toda a musculatura e articulações realizando suas funções de forma intensa, há um aumento do metabolismo e consequentemente do gasto calórico;
  • Melhora da velocidade e tempo de reação. Este exercício exige do sistema nervoso central uma resposta rápida para que se controle a inércia do kettlebell que está sempre em movimento aumentando sua velocidade e tempo de reação.

 

Se você está procurando um exercício que vá te ajudar a acabar com suas dores nas costas, deixar sua coluna, coxas e glúteos mais fortes e torneados e ainda por cima fazer você correr melhor, faça swings! Mas lembre-se, sempre sob supervisão de um profissional.

Por hoje é isso, bons treinos e até a próxima!

Jhomyr Dias Modesto

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)

Veja também:

A emoção dos 42.195m de “terapia”

Relato enviado por: Administrador

Correr maratona realmente tornou o maior vício que possuo. Quando fiz a primeira, já pensava na segunda. Concluída a segunda, só pensava aonde poderia me aventurar no ano seguinte. Decidi então que a minha terceira maratona seria em território alemão, não só por achar um país incrível, mas também por ter como residente lá uma super amiga da época de colégio. A maratona de Colônia (Kölon) passou a meta de 2015. Objetivo traçado foi só encarar os meses de preparação e focar na meta de melhorar do tempo... pensamento básico quando se começa a ganhar confiança na distância. Dia ...Leia mais

Minha gravidez e a corrida

Relato enviado por: Administrador

Minha história na corrida começou há alguns anos atrás, mas foi somente a partir  de janeiro de 2013 que contratei um professor especificamente para me dar aulas de técnica de corrida, associada a prática de pilates. Fizemos várias corridas juntos, mas já na metade do ano comecei a sofrer com fortes dores na canela e fui diagnosticada com canelite. Fiz diversas sessões de fisioterapia, mas nada parecia realmente melhorar a minha dor. Foi então que em setembro de 2014 eu e meu marido deixamos de treinar com ...Leia mais


Twitter

Facebook

Top